Five Senses

Neste semestre, os alunos do K3 participaram de uma sequência de atividades relacionadas ao projeto Five Senses. O objetivo deste trabalho foi ampliar a maneira de conhecer o mundo por meio dos sentidos, usando o corpo como principal instrumento.

A partir de experiências sensoriais, as crianças desenvolveram ainda mais suas percepções e conhecimentos sobre as propriedades e as características dos elementos que as rodeiam. Ao vivenciarem essas experiências, elas incorporaram conceitos sobre os cinco sentidos de modo construtivo e efetivo.

Nas aulas de culinária e em nossos centros de degustação, as crianças exploraram o paladar e o olfato ao serem estimuladas a experimentar sabores variados, como doce, azedo, salgado e amargo; e a cheirar fragrâncias diferentes.

Ao brincarmos de dança das cadeiras, estátua, bingo e jogo da memória sonoro, aprimoramos a percepção de audição dos alunos. Com o auxílio de uma venda nos olhos e caixas sensoriais, desenvolvemos uma série de atividades para estimular o tato. Foram manuseadas diferentes texturas e sensações, tais como áspero, liso, macio, duro, quente e frio.

Procuramos também sensibilizar as crianças com atividades que demonstrassem a importância da visão. Em uma delas, solicitamos o auxílio de um amigo para dar direções, enquanto outro percorria um trajeto com os olhos vendados. Além disso, confeccionamos óculos e binóculos com lentes coloridas, manuseamos lupas e lanternas, projetamos imagens utilizando o retroprojetor, pintamos e desenhamos através de um buraco em caixas fechadas.

Five Senses foi um projeto repleto de descobertas e diversão, no qual os alunos se mostraram encantados enquanto descobriam e vivenciavam experiências relacionadas aos cinco sentidos.

Teachers Fernanda, Larissa, Luciana e Thaisa

Tietê, para onde vai você?

Como segunda parte do projeto “Caminho do Tietê”, que abrange conhecimentos de Meio Ambiente, Ecologia, Colonização e Bandeiras, os alunos do 6º ano realizaram um Estudo do Meio que acompanha o caminho do rio desde São Paulo (Alto Tietê) até a cidade de Barra Bonita (Médio Tietê). Dentre muitas atividades ao longo desse percurso, como visita ao Memorial Tietê, ao Parque de Lavras, ao Parque das Monções – de onde saiam expedições, que duravam até seis meses, para o Mato Grosso, levando suprimentos e trazendo ouro – houve um intercâmbio com a EMEFEI Oscar Novakoski.  O projeto tem por objetivo aprimorar os conhecimentos trabalhados em diversas disciplinas e sua relação com o cotidiano, desenvolver relações interpessoais em diferentes situações e locais do ambiente escolar, além de conhecer e compartilhar poesias com os alunos da escola de Dois Córregos (cidade da poesia). Esta parceria com a EMEFEI Oscar Novakoski, organizada pela professora Talyta de Língua Portuguesa e Alex de Educação Física, teve acompanhamento da Secretaria da Educação e foi divulgada nos meios de comunicação pela Prefeitura de Dois Córregos. Os alunos do 6º ano conheceram também uma Estação de Tratamento de Esgotos, que devolve a água em boas condições para o rio, e também uma cerâmica industrial e uma cerâmica artesanal, onde puderam refletir, com a ajuda do professor Vinicius de Geografia, sobre o processo industrial e as condições de trabalho dos operários. O almoço foi a bordo de um navio que realizou a eclusagem na barragem da Usina Hidrelétrica de Barra Bonita.

José Roberto Dias – Coordenação Pedagógica Ensino Fundamental 2

Que caverna é esta?

Em continuidade ao projeto realizado em sala de aula, os alunos do 8º ano visitaram o Quilombo de Ivaporunduva e as cavernas do Parque Estadual e Turístico do Alto Ribeira (PETAR). Acompanhados dos professores Vinicius, de Geografia, e Agenor, de Língua Portuguesa, os alunos tiveram oportunidade de conhecer ambientes muito diferentes da sala de aula e vivenciar situações que trouxeram muito aprendizado. A convivência com a cultura do quilombo, a ciência e pesquisa desenvolvidos na Reserva Ecológica Betari e a exploração das cavernas trouxeram aos alunos uma oportunidade de crescimento pessoal e de experimentação que enriquecem todo o trabalho desenvolvido dentro da sala de aula.

José Roberto Dias – Coordenação Pedagógica Ensino Fundamental 2

Sing a song

Uma atividade extracurricular tem movimentado os alunos do 4° ao 6° ano: o Singing Club.  Muito divertidos, os encontros desenvolvem habilidades musicais, sociais e culturais por meio da voz e do canto em grupo. “Isso é conseguido por meio do aprofundamento de técnicas e exercícios vocais específicos para a voz infantil bem como pelo contato com repertório de culturas e estilos variados”, explica a musicista Daisy Fragoso, responsável pela atividade. “Por conta do fazer musical coletivo, eles ainda aprendem a cantar em vozes e desenvolvem habilidades de escuta”.

see-saw_coral1

Hoje, o grupo, que reúne 16 alunos, se encontra duas vezes por semana. Atualmente, eles estão se dedicando a um repertório variado, tanto em inglês quanto em português, que inclui as canções Sweet child o’mine (Guns n’roses), A thousands years (Christina Perri), uma marchinha de carnaval, uma canção de ninar portuguesa e uma canção criada pela própria Daisy.

see-saw_coral2

O trabalho já tem rendido belos frutos. Fundado em abril de 2017, o coro, conhecido como See-Saw Panamby Children’s Choir, foi selecionado para participar do mais importante encontro de corais infantis do Brasil, o Gran Finale Festival. O concerto reuniu, no final do ano passado, os melhores corais infantis do país no Teatro Bradesco, em São Paulo, sob regência da maestrina Ruth Dwyer, da Butler University.  Para 2018, já está agendado um evento que acontecerá na cidade de São Francisco Xavier, no interior da capital. “E, para 2019, já temos uma apresentação agendada no famoso Carnegie Hall, em Nova York”, comemora a musicista. “Marcado para março, os coros selecionados serão conduzidos pelo maestro especialista em voz infantil Henry Leck, também da Butler University.”

21º Arraiá SEE-SAW Panamby

Fernanda e Rafaela 4 A

No próximo 9 de junho acontecerá o 21º Arraiá da SEE-SAW Panamby. Entre alunos, pais, professores e convidados, são esperado mais de 850 pessoas.

Quadrilhas, barracas típicas e brinquedos são as atrações principais e mais uma vez, nosso bingo será em prol do Projeto Casulo.

Os convites são vendidos apenas de maneira antecipada e alunos e ex-alunos não pagam.

Compareça.